Projeto Arara Azul é vencedor do Prêmio Crea de Meio Ambiente

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Com o tema “Cidades: dos desafios às soluções”, o Crea-GO realizou, na noite de 21 de novembro, no Memoratto Eventos, em Goiânia, a solenidade de entrega do 18º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente, na qual foram conhecidos os vencedores entre os três finalistas em cada uma das cinco modalidades em disputa.

Projeto Arara Azul, de Mato Grosso do Sul, foi vencedor na categoria Elementos Naturais

Projeto Arara Azul, de Mato Grosso do Sul, foi vencedor na categoria Elementos Naturais

No total, foram 177 trabalhos inscritos, recorde da premiação. O 18º Prêmio de Meio Ambiente contou com o patrocínio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-GO (Mútua-GO) e do Sicoob Engecred-GO.

O Projeto Arara Azul, desenvolvido pelo Instituto Arara Azul de Campo Grande, criado e coordenado pela bióloga Neiva Guedes, foi o premiado na categoria Elementos Naturais.

A solenidade de entrega do 18º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente contou com a participação de 440 convidados, entre eles, autoridades do Sistema Confea/Crea e Mútua e das esferas municipal e estadual em Goiás. Representantes das Caixas de Assistência aos Profissionais do Crea – Mútua nacional e regional, presidentes de Creas de diversos estados brasileiros, deputados estaduais, secretários estaduais e municipais, vereadores, presidentes de associações, sindicatos e agências, além de diretores do Crea-GO e conselheiros regionais e federais, prestigiaram o evento.

Em seu agradecimento, Neiva Guedes afirmou ver, com otimismo, uma mudança de atitude. “A gente tem condições de mudar o quadro que agora se estabelece. Se houver pequenas atitudes no nosso dia a dia, seja reciclando lixo, não usando tanto plástico e outras, podemos mudar o mundo para todos, não só para as araras”, afirmou, Neiva que, acompanhada pela bióloga Larissa Barbosa, recebeu certificados e troféus das mãos do deputado estadual goiano Lucas Calil e do presidente do Crea-PB, eng. civ. Antônio Carlos de Aragão.

Premiados
Todos os 177 trabalhos inscritos foram avaliados por um júri composto por membros da Comissão de Desenvolvimento Sustentável do Crea-GO (Codesu) e uma Comissão Julgadora de nove profissionais de diversas áreas, sendo quatro de Goiás, um do Distrito Federal, um do Mato Grosso, um do Mato Grosso do Sul, um de Minas Gerais e um do Tocantins.

Os vencedores de cada uma das modalidades do Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente – Imprensa, Elementos Naturais, Sociedade Sustentável, Inovação Tecnológica e Produção Acadêmica – foram conhecidos durante a noite de premiação e agraciados com o troféu Seriema, ave símbolo do Prêmio desde 2001, e com certificado emoldurado em madeira de pinos, proveniente de floresta plantada.

 

Sobre o Arara Azul
Em novembro de 1989, Neiva Guedes viu um bando de araras azuis Anodorhynchus hyacinthinus no Pantanal durante a prática de campo do curso de Conservação da Natureza, para técnicos do Ibama, Embrapa, Sema-MS. Neiva achou a cena linda (cerca de 30 araras-azuis pousadas num galho seco) e quando soube que a ave estava ameaçada de extinção e que estava desaparecendo rapidamente, decidiu fazer algo para que isso não acontecesse e pensou que outras pessoas deveriam conhecer as araras azuis em seu hábitat natural. O fato se transformou em um marco em sua vida: a luta pela conservação da arara azul, dando início ao Projeto Arara Azul. Desde então, ela dedica sua vida para a conservação desta ave no Pantanal brasileiro.

Com informações do Crea-GO