Posse de conselheiros do Cepa marca aprovação do Propeixe

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

O Conselho Estadual de Políticas Agrícola e Agrária (Cepa), vinculado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), é um colegiado consultivo e deliberativo, que tem por finalidade alavancar o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, por meio da valorização do homem e o respeito aos recursos naturais, e ainda das atividades agrícolas sustentáveis e a justiça social.

Instância máxima na tomada de decisões em questões relativas à agricultura e pecuária no Estado, o Cepa foi reativado na manhã desta quinta-feira (17/9) com a posse de seus novos conselheiros, em uma reunião realizada por meio de videoconferência.

Integrado por representantes de entidades executivas e técnicas, o Cepa tem o presidente do Crea-MS, eng. agr. Dirson Freitag como um de seus membros natos de caráter  técnico-consultivo. De acordo com o decreto 15.333, de 18 de dezembro de 2019, que reorganizou o Conselho, ele deve ser integrado por 13 membros natos executivos e mais 18 membros natos técnico-consultivos e seus suplentes.

Para o presidente Dirson Freitag, “como Conselho profissional, a participação do Crea-MS no Cepa permite a valorização dos profissionais e a participação da engenharia e da agronomia em decisões ligadas às atividades econômicas do setor agrícola, fato muito relevante em um estado como Mato Grosso do Sul”.

Foto: Edemir Rodrigues (www.ms.gov.br)

Um fato curioso foi citado pelo atual superintendente federal de Agricultura no Estado, Celso Martins, que na época ocupava o cargo de secretário de estado, relembrou que no dia da criação do CEPA, em meados de 1995, o atual presidente do Crea-MS, eng. agrônomo Dirson Freitag se fazia presente como representante da Associação Sul-Mato-Grossense de Engenheiros Agrônomos (Aeams).

Na mesma reunião o superintendente de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro, Rogério Beretta, apresentou ao colegiado o Plano Estadual de Fortalecimento da Cadeia Produtiva do Peixe no Estado de MS  (ProPeixe), que foi aprovado por unanimidade. O objetivo, segundo Beretta, é colocar Mato Grosso do Sul entre os cinco maiores produtores do peixe do Brasil, elevando a produção de tilápia que hoje é de 20.300 toneladas, para 36 mil toneladas em 2021, e 55 mil toneladas em 2022.

O ProPeixe tem como diretrizes: incluir produtores visando reorganizar a cadeia produtiva da piscicultura; priorizar os pequenos produtores, criar arranjos produtivos locais para incentivar a comercialização de pescado, simplificar e desburocratizar as normas e procedimentos (citando como exemplo o licenciamento ambiental simplificado) e traçar as linhas que vão orientar a produção de peixe em cativeiro no Estado.

Janine Gonzalez, do Crea-MS
Com colaboração de Juliano Marzola e informações da Semagro