Notícias Terça-feira, 8 de junho de 2021

Fiscalização em Mato Grosso do Sul é destaque em reunião nacional

mesa

Mesa de trabalhos do primeiro dia da Reunião de Fiscalização

Logo depois da cerimônia de abertura, duas palestras marcaram a manhã da terça-feira (17/12), dentro da programação da 1ª Reunião Nacional de Fiscalização.

Ao se apresentar, Altamiro Nogueira Barbosa, engenheiro agrônomo e gerente de fiscalização do Crea-MS, informou que tem apenas dois anos de Sistema, que veio para ajudar e “resolveu assumir o desafio da função”.
Para Altamiro, “é preciso melhorar a administração” e, para isso, “tenta aprimorar o trabalho criando um novo olhar sobre como estamos gastando nossos recursos”.

 

Altamiro Borges descreveu a atuação da área no Crea-MS

Altamiro Barbosa descreveu a atuação da área no Crea-MS

Atuando num Crea relativamente novo, segundo Altamiro, o Crea de Mato Grosso do Sul “ainda é pequeno em termos de recursos e que a área tecnológica precisa ser cada vez mais avançada e moderna”.

Na sequência, informou que o Crea-MS tem 11.500 profissionais registrados; 44 conselheiros, 55 inspetores, 100 funcionários. Sobre o estado que tem 79 municípios, Altamiro informou que o Crea tem 11 inspetorias e que, a cada fiscalização, realidades diferentes são encontradas. “Temos 19 agentes-fiscais e dois agentes administrativos”, completou.

Sobre a participação da fiscalização no orçamento, Altamiro deu conta que 84% são despesas com diárias; 81% com combustível; 24% destinados à folha de pagamento; 31% são subsídios com plano de saúde; 24% do PAT, 26% adicional por tempo de serviço; 28% de abono pecuniário de férias. “A fiscalização alcança 26% das despesas do Crea”.

Tecnologia da Informação alinhada à fiscalização

Esse foi o tema apresentado por Sérgio Martins, que integra a equipe da Gerência de Tecnologia da Informação, do Confea.
Para ele, com o avanço tecnológico dos últimos anos, “o setor de TI, antes visto apenas como uma área de suporte técnico, passou a ter papel fundamental e estratégico na gestão de negócios”.

Papel estratégico da área de TI para o aperfeiçoamento da fiscalização foi apresentado pelo assessor Sérgio Martins
Martins defendeu a proatividade das atividades do setor e a interação com outros departamentos visando melhorias no fluxo de trabalho. “Atualmente os esforços estão direcionados na Integração dos Sistemas, Implantação do Cadastro Nacional de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e o Livro de Ordem”, adiantou.

Integração de Sistemas, Cadastro Nacional: com a reunião das Bases de Dados de ARTs e Livro de Ordem, uma ferramenta integrada ao registro de uma ART de obra/serviço, onde o profissional poderá registrar toda ocorrência relevante (visitas, orientações técnicas, paralisações, imagens, arquivos…), foram temas abordados por Martins, para quem é fundamental acompanhar e subsidiar as propostas de ação da atividade de fiscalização, apontando necessidades para a busca de soluções de informatização de forma integrada.

“O desafio é imenso para as inúmeras melhorias a serem implementadas”, afirmou Martins. Ele adiantou que atualmente está sendo considerada uma proposta para promover a criação de um cadastro de processos de infração, avaliando a real situação desses controles nos regionais e apontando melhores práticas para fomentar a realização de estudo normativo futuro”.
Integração de sistemas, unicidade de ações e padronização de procedimentos também foram defendidos por Sérgio Martins.

Maria Helena de Carvalho
Equipe de Comunicação do Confea
Fotos: Marck Castro/Confea