Casas de madeira: um novo mercado para o eucalipto de MS

terça-feira, 23 de maio de 2017

A área de florestas plantadas de eucalipto em Mato Grosso do Sul já chegou a 1 mi de hectares segundo dados divulgados semana passada pelo Projeto SIGA da Aprosoja-MS.

Ao mesmo tempo em que é uma comemoração, levanta outro problema, quem vai consumir todo este maciço florestal nos próximos anos? As fábricas de celulose já vão consumir perto de metade desta área, mas e o restante? O governo do Estado, em parceria com a Reflore, Fiems, Senar e Famasul, está atento a este problema estimulando a vinda de novas empresas e a diversificação da cadeia produtiva.

O Senar e a Famasul por sua parte estão promovendo, em parceria com a Paulo Cardoso Comunicações, no próximo dia 31 de maio em Três Lagoas, mais uma etapa do Programa Mais Floresta com o tema Casas de Madeira – um novo mercado para o eucalipto.

“Este é um mercado que está crescendo muito em todo o Brasil. No âmbito da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as entidades já estão debatendo este assunto para regulamentar o setor. Quando se normatiza um produto, toda a cadeia produtiva – fabricantes, fornecedores e consumidores – se organiza e otimiza a produção. A publicação dessa norma, considerada um marco para o desenvolvimento da construção no País, é resultado do diálogo e da parceria entre o setor produtivo e fornecedores”, explica Paulo Pupo, superintendente executivo da ABIMCI – Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente.

E a construção de casas de madeira vem crescendo em todo o Brasil. O segundo conjunto habitacional do projeto Minha Casa Minha Vida do país, produzidos no sistema wood frame, semelhante ao já conhecido pré-fabricado de concreto, se encontra em Mato Grosso do Sul, mais exatamente na cidade de Dourados, onde estão sendo construídas 440 casas. Wood frame é um sistema de construção civil que tem como diferencial a utilização de painéis de madeira reflorestada.

“E o nosso objetivo neste evento do dia 31 é o de trazer informações de qualidade para que o setor saiba exatamente como é este mercado, como conduzir uma floresta de eucalipto para serraria, como construir uma casa de madeira e conhecer a experiência da Argentina, que tem a mesma área de florestas plantadas que o nosso estado, e utiliza a madeira para a construção civil já há muitos anos”, salienta Paulo Cardoso, coordenador do evento.

O Mais Floresta tem como objetivo contribuir para a difusão dos meios que possam melhorar a qualidade do trabalho e das pessoas que exercem suas profissões na área florestal, bem como promover o intercâmbio de negócios entre as empresas e seus parceiros. Informações sobre o programa e inscrições para assistir presencialmente ou pela internet estão sendo feitas aqui

Fonte: Paulo Cardoso Comunicações