Abril Verde: engenheira de segurança fala sobre atuação dos profissionais na prevenção à Covid-19

terça-feira, 27 de abril de 2021

Chamado de Abril Verde, este mês concentra duas datas importantes: 7 de abril é o dia mundial da saúde e 28 de abril é o dia mundial da segurança e saúde do trabalho, este em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. A data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) por iniciativa de sindicatos canadenses e escolhida em razão de um acidente que vitimou 78 trabalhadores em 1969, em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. No Brasil, o dia 28 de abril foi oficializado como Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho em 2005, por meio da Lei 11.121.

O Abril Verde é um movimento para marcar ações com o objetivo de prevenir, alertar e reduzir os acidentes de trabalho e os agravos à saúde do trabalhador, e mobilizar o envolvimento da sociedade, dos órgãos de governos, empresas, entidades de classe.

A profissão de engenheiro de segurança do trabalho tornou-se oficial em 1985, com a publicação da Lei 7410. Para regulamentar o exercício profissional, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) editou, em 1991, a Resolução 359, contendo informações sobre o exercício profissional, o registro e as atividades do Engenheiro de Segurança do Trabalho. Em Mato Grosso do Sul, o Crea atualmente registra 675 profissionais com esta especialização.

A engenheira sanitarista ambiental e de segurança do trabalho Keiciane Brasil é também palestrante e consultora na área se segurança do trabalho. Recentemente, uma live organizada pela Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho (Anest), debateu a importância da profissão em tempos de pandemia e contou com a participação da engenheira, representando a Associação Sul-Mato-Grossense de Engenharia de Segurança do Trabalho. Confira a gravação aqui.

Na entrevista abaixo, Keiciane fala sobre a importância do Abril Verde e a atuação do engenheiro de segurança nos tempos atuais. Confira:

Crea-MS – Em tempos como esses, de pandemia, como você acredita que o papel do engenheiro de segurança foi evidenciado?
Eng. Keiciane – O papel do engenheiro de segurança foi evidenciado, principalmente nos planos de biossegurança e no gerenciamento de riscos das empresas, para que a disseminação da covid-19 fosse reduzida entre os trabalhadores.

Crea-MS – Muito se fala em uso de máscaras (para toda a população) e de demais Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para trabalhadores da saúde, da educação, por exemplo. Como podemos associar esses cuidados ao trabalho dos profissionais da engenharia de segurança?
Eng. Keiciane – O uso do EPI já é de extrema importância nas atividades laborais das empresas, para minimizar os riscos inerentes as atividades dos trabalhadores, e temos que lembrar que somente o uso de máscara não reduz a contaminação. Sabemos que o ideal é o conjunto de todas as medidas, o distanciamento adequado, lavagem das mãos, uso de álcool gel e uso correto das máscaras. E nas empresas os engenheiros também trabalham dessa forma conjunta, pensando em todas as medidas possíveis para diminuir os riscos ao trabalhador.

Crea-MS – O Abril Verde surgiu para marcar o dia 28 de abril, data em que homenageamos vítimas de acidente de trabalho. É um momento importante para reafirmarmos a importância do profissional da engenharia de segurança?
Eng. Keiciane – Com certeza, temos o Abril Verde para conscientizarmos os trabalhadores para a prevenção dos riscos que ocasionam os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais e o engenheiro de segurança está à frente das empresas para garantir a prevenção dos acidentes.

Crea-MS – Aproveitando o Abril Verde, para que você possa nos explicar como a engenharia de segurança do trabalho atua na prevenção de acidentes laborais.
Eng. Keiciane – Em diversas formas, através de treinamentos e aplicação das NRs (Normas Regulamentadoras), através da inspeção dos locais de trabalho averiguando os riscos ocupacionais, medidas de proteção coletiva

Crea-MS – O que a prevenção pode representar para a organização, falando em termos de custos financeiros?
Eng. Keiciane – A prevenção de acidentes além da proteção à vida, reduz consideravelmente os custos, podemos pensar em diversos fatores como:
Reduz custos jurídicos, fiscalização do Ministério Público, indenização por danos morais, materiais, quando o trabalhador perde um membro ou a redução da capacidade laborativa e até redução da capacidade da produção da empresa.
E um acidente fatal é um dano irreparável, que não tem preço. Por isso a segurança no trabalho é responsabilidade de todos.